Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > revista da cultura > A LIBERDADE DE SER E O RESPEITO
Início do conteúdo da página
Segunda, 28 Junho 2021 14:44

A LIBERDADE DE SER E O RESPEITO

A LIBERDADE DE SER E O RESPEITO

Em 28 de junho de 1969, como costumava a fazer, a polícia invadiu o Bar Stonewall Inn em Nova York, frequentado pela comunidade gay, para mais uma batida de repressão e perseguição. Cansados de serem humilhados pelos policiais, nessa noite a comunidade resolveu enfrentá-los em uma manifestação que durou dois dias e foi o marco para impulsionar a luta pelos direitos LGBTQIA+ no mundo.

Todo esse enfrentamento de defesa que repercutiu pelo planeta e que se fortalece até hoje queria pedir RESPEITO.

Cinco décadas depois, por mais incrível que pareça, as manifestações que hoje atingem milhões de pessoas continuam pedindo RESPEITO.  Respeito para cada um ser o que deseja ser, para que cada indivíduo, independente da sexualidade ou gênero, não seja massacrado, desprezado, hostilizado ou ASSASSINADO. Uma pessoa não se define apenas pela sua posição sexual. Somos construídos de várias características, boas e más, e é isso que nos difere da cada um.

Nunca nos foi dado o direito de julgar e condenar alguém por qualquer escolha ou natureza que tenha. Esse julgamento é um péssimo hábito que trazemos. É melhor usar esse tempo para avaliarmos em que podemos ser melhores.

É só com AMOR que conseguimos respeitar. Não tripudie e nem hostilize ninguém por não ser o que você gostaria que ele fosse, tenha apenas RESPEITO. Faça o mesmo com o que você, suas crenças, seus dogmas e conceitos acham ou acreditam. O que você acha ou acredita não é a regra geral, é apenas o que você acha, é o que você acredita. O planeta é enorme e as pessoas são dos mais variados tipos, cores, raças, credos, sexo, caracteres e pensamentos. Não tente padronizar a humanidade. A beleza de ser está na diversidade.

TODOS têm o direito e a liberdade de ser o que desejar, considerando que não ultrapasse o limite do respeito mútuo. Caetano Veloso define com sutileza e precisão a individualidade do ser humano na música “Dom de Iludir”: “CADA UM SABE A DOR E A DELICIA DE SER O QUE É”. Portanto, se você não pode ou não consegue ter compaixão pelo seu semelhante, dê-se a nobreza de RESPEITAR.

 Hoje, dia 28 de junho se comemora o Dia do Orgulho LGBT é um bom dia para pensar em ser melhor.

Dedico esse dia ao meu amigo Marco Antônio, hoje, querida amiga Federica Pires. Uma mulher trans, filha da nossa cidade, formada em administração de empresas, bem sucedida, reside na Europa e é casada segundo as leis italiana. Ela fez do preconceito um combustível para erguer a cabeça e ganhar o mundo na luta para ser quem ela sempre quis ser. Venceu!

Por Gebran Smera

Colaborador da Revista Cultura & Arte, diretor artístico e Secretário de Cultura de Pirai.

Lido 372 vezes Última modificação em Segunda, 28 Junho 2021 14:46
Fim do conteúdo da página


Endereço: Praça Getúlio Vargas, s/n°, Centro, Piraí - RJ - 27.175-000
Telefones: (24) 2431 9950
Atendimento: Segunda a sexta-feira de 08h às 17h
E-mail: ouvidoria@pirai.rj.gov.br