Sexta, 25 Agosto 2017 19:28

Bailarino piraiense inicia carreira internacional

O balé piraiense prepara-se para ser reconhecido internacionalmente. É que Caio Rodrigo Antônio dos Santos, de Arrozal, é o primeiro bailarino do Projeto a cravar carreira internacional e está a caminho de Nova Jersey, nos Estados Unidos, nesta sexta-feira (25).  

No início desta semana, Caio esteve na Agremiação Esportiva para conversar com as alunas do Projeto de Balé e contar sua trajetória, que agora entra na fase profissional, sendo contratado como bailarino pela Atlantic City Ballet. Caio foi pioneiro não só em lançar sua carreira internacional, como também o primeiro do Projeto a participar da renomada Escola de Dança Maria Olenewa, no Rio de Janeiro, ainda criança.

Caio Rodrigo iniciou suas atividades no balé aos 5 anos, antes disso sua prima já ensinava alguns passos da dança brincando em casa. Orientado pela professora Ana Lúcia Braga, o menino foi aprimorando seu talento, ganhando concursos e bolsas de estudo até chegar ao bailarino profissional que é hoje, aos 20 anos. "Nossa proposta é investir no aluno para que ele amplie seu horizonte e vá para o grande centro, para o exterior. Para que possa fazer do balé sua profissão, viver da sua arte como profissional", explicou a professora do Projeto Ana Lúcia Braga.

Caio contou ainda às alunas como era sua rotina de ensaios e estudos, como chegou a ganhar a bolsa e passar um ano na Miami City School e o esforço de sua família, que promovia sorteios, show de prêmios e barracas em festas para angariar dinheiro para mantê-lo lá.

Mas Caio enxerga cada dificuldade como um aprendizado. A situação financeira, a conciliação das atividades diárias, o momento que sua mãe mudou de cidade e ele optou por morar sozinho para continuar seguindo o seu sonho.  "Tudo serviu para eu amadurecer. As dificuldades virão, sempre vai ter uma pedra no caminho, sempre vai ter alguém para colocar seu sonho para baixo, mas temos que passar por tudo. Faço um Grand Jeté [salto do balé] e passo por cima!", disse confiante.

O bailarino trabalhou em diversas áreas, obras, projetos gerais, até conseguir sua primeira atividade profissional como dançarino no Gacemss, em Volta Redonda, e continuou mandando seus vídeos para outros profissionais.

Ele ressaltou como o apoio da Prefeitura e de sua professora foi essencial para concluir essa jornada até conseguir o contrato com a Antlantic City Ballet, companhia de Nova Jersey. "Foi o diferencial, a professora Ana ajudou com os contatos, a língua estrangeira e principalmente com a disciplina e o incentivo".

Ana Lúcia Braga destaca o trabalho do Projeto de Balé de Piraí, que tem essa preocupação de incentivar a carreira e a evolução dos alunos não apenas como recreação. "Hoje o Projeto é referência. Ainda é muito difícil para a nossa sociedade ver futuro na arte, na dança. Mas aqui ensinamos que, com dedicação e aprimoramento do talento, quem tiver essa vontade, chega lá!", disse.

Lido 1657 vezes